Antes da Estante

O dia em que quase parei o Trancendence

Posted in De Quinta by Tomás Chiaverini on julho 31, 2008

Logo no início do festival, vendo que eu tinha um cadeado na minha barraca, a DJ Paula Simioni pediu que eu guardasse um imenso estojo com todas as faixas que ela e seu namorado, Ricardo Janczur, apresentariam no seu primeiro set em uma festa da magnitude do Trancendence.

Eu concordei, claro, acomodei o caixotão de couro embolado no meu saco de dormir, e evidentemente não voltei a pensar no assunto.

Duas noites depois, a fim de espairecer um pouco os ouvidos, tomei de uma lata gelada de cerveja e caminhei até o rio que corria atrás do camping. Para minha alegria, eu era o único por ali, e durante horas permaneci em silêncio no escuro, olhando a lua, deitado sobre uma pedra lisa que despontava no meio da corredeira.

Depois, caminhei sem pressa na direção do camping e parei no caminho para escovar os dentes, na pia ao relento de um dos banheiros coletivos.

Quando cheguei na minha barraca, foi só enfiar a chave no mini-cadeado e Paula colocou o rosto lívido para fora de sua tenda de lona, bem ao lado da minha.

­- Tomás, é você? – perguntou com a voz nervosa.

Quando respondi que sim, ela suspirou aliviada.

– Nossa, estamos há três horas te procurando na festa inteira. A gente entra em trinta minutos, na pista principal!

Mais alguns instantes naquela pedra e a pista principal ficaria em silêncio. Ou, mais provavelmente, a barraca de meu amigo Bruno Bartaquini sofreria uma cesariana.

Tagged with: , ,

7 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. JC said, on julho 31, 2008 at 22:28

    Cara, nada a ver com o post. Mas, lendo o blog, tive uma sensação muito clara de que esse livro vai ser bom pra caralho e um puta sucesso _para o mercado editorial brasileiro. Nem saberia te dizer porquê.

  2. Tomás Chiaverini said, on julho 31, 2008 at 22:30

    Que o deus mercado te ouça, meu caro JC!
    Por aqui, vamos fazendo o possível.

  3. Danita said, on agosto 1, 2008 at 14:33

    HAHAHAHAHA; tá vendo?

  4. Tomás Chiaverini said, on agosto 1, 2008 at 14:35

    Vendo? O que? Onde? Hein?

  5. Danita said, on agosto 1, 2008 at 14:59

    Logo você vai entrar em livrarias, dizer “Posso autografar uns livros meus?”, e de repente longas filas se formarão para observar o famoso escritor.

  6. Tomás Chiaverini said, on agosto 1, 2008 at 16:31

    Putz, o problema é que eu ando meio em falta com meu curso prático de magia.
    Fui olhar agora e minha capa está toda mofada no armário, deu ferrugem na minha espada.

  7. adrio inveriach said, on agosto 2, 2008 at 02:40

    Pois é, meu caro jovem jornalista….

    Acho que o mercado e o sucesso são bastante atraentes. Mas no fundo o que é legal do sucesso é vc poder passar teu recado prum monte de gente.
    Aí vale a pena toda essa batalha pra conseguir boas informações e apresentá-las de forma atraente…
    Agora, quanto mais gente absorver tuas ideias, maior é a tua responsabilidade.
    É mole????

    E… explica melhor aqui pra nós o lance da capa e da espada… Isso me lembra dos tres mosqueteiros e do Zorro!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: