Antes da Estante

Tergiversando

Posted in De segunda by Tomás Chiaverini on maio 19, 2008

Lá se vão quase quatro anos desde que, num dia como outro qualquer, resolvi deixar a cidade de Manaus e enfrentar 12 horas de ônibus por uma das piores estradas do Brasil, até o estado de Roraima.

Ao contrário do que acontece agora, na época a região não vivia numa guerra civil declarada, mas apenas em um estado de tensão permanente. Havia uma parte dos índios e o governo, que eram a favor da homologação de uma reserva contínua. E havia os fazendeiros plantadores de arroz e uma parte menor dos índios que eram contrários à homologação da reserva Raposa/Serra do Sol.

Minha intenção, ao me descambar até Boa-Vista, era fazer uma matéria descrevendo esse clima de tensão que gerava uma espécie de apartheid em solo brasileiro. Apenas isso. Quando saí da Manaus, portanto, não havia grandes problemas em Raposa/Serra do Sol.

Já quando cheguei em Boa-Vista, um conflito armado havia se estabelecido. Liderados pelo prefeito de Pacaraima, Paulo César Quartieiro, fazendeiros e alguns índios dissidentes haviam queimado quatro aldeias e baleado o líder de uma delas.

Consegui visitar e tirar fotos (essa acima é uma delas) das aldeias destruídas em expedições pra lá de tensas, e fiquei uma semana em Boa-Vista. Cobrir um conflito em solo brasileiro quatro meses depois da formatura era tudo que um “foca” podia querer.

Mas na hora de comercializar o resultado do trabalho, uma parte do brilho da profissão se apagou. Na época, ao contrário do que acontece hoje, a imprensa brasileira não dava nenhuma atenção ao caso.

E ninguém quis comprar uma matéria de um repórter desconhecido, que trazia informações novas e delicadas, como a de que, ao contrário do que afirmavam, os fazendeiros estavam expandido suas terras dentro da área onde seria homologada a reserva.

No fim das contas, o texto e as fotos acabaram saindo no site da revista Caros Amigos, que não me pagou um tostão pelo trabalho. Por outro lado, o material ainda pode ser lido hoje, no site da Caros.

Tagged with:

5 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. adrio inveriach said, on maio 20, 2008 at 00:49

    Gostei de reler a matéria

    Você foi muito corajoso na época e ainda está sendo em mostrá-la novamente.

    Acho que seria bom vc procurar republicar esse trabalho, que ficou mais interessante ainda devido ao agrfavamento da situação.

    Mas…

    As manifestações de alguns importantes membros de nossas forças armadas, me dão calafrios.
    remember 1964…

  2. adrio inveriach said, on maio 20, 2008 at 00:51

    Também gostaria se saber se essa foto que aparece aí é tua.

    merece ter um crédito…

  3. orlando said, on maio 20, 2008 at 10:47

    Obrigado! Lembrei, depois de ler a matéria no site, que tb tenho a Caros Amigos aqui em casa. Um amigo, acho que você sabe quem, me presenteou.

  4. Tomás Chiaverini said, on maio 21, 2008 at 14:02

    Sim, caro Adrio, a foto é minha. Quantoi ao crétido, bom, digamos que falte habilidade técnica para tanto.

  5. Adrio Inveriach said, on maio 27, 2008 at 21:32

    Fui até a reportagem do link.

    Ela é muito atual. O Quartiero é um sujeito muito forte e parece que tem bons admiradores na direita.

    A foto é muito boa, apesar de parecer repetição de alguma coisa que já vi. Isso que é incrível… estamos no século XXI e ainda vemos imagens como essas.,


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: